Saturday, February 17, 2007

Arrasta a sandália....

Não se fazem sandálias como antigamente Indagações a fim de descobrir o problema das chinelas mordernas Essa semana, estava atravessando um a rua (ali na região do Castelo) e fui abordada por uma senhora que veio me questionar:
-Por favor, você sabe onde fica a Loja X (não lembro o nome)? É uma loja de sapatos. Respondi que não sabia. Então, a mulher se lamentou: -Olha, eu tava atravessando a outra rua e minha sandália arrebentou. Minha sandália não, a da minha irmã. Tinha pego emprestado. E assim percebi que a mulher arrastava o pé direito, numa tentativa de que o solado da sandália não saísse de seu pé. Seria uma forma de fazer com que o peito do pé daquela jovem senhora, não torrasse no asfalto sujo e quente das ruas de Campinas. Assim, terminamos de atravessar a rua e minha caxola se incomodou com o fato de as sandálias arrebentarem em demasia ultimamente. Semana passada, a minha irmazinha pegou uma rasteirinha emprestada e saiu.Ela ía se encontrar com a minha irmã mais velha, mas acabou se perdendo no centro da cidade. Para se localizar, ela ligou aqui em casa. Papo vem, papo vai e, minha irmã, enquanto atravessava a rua, indagou:
-Ai, eu não acredito!!
E a história se repetia, agora na Campos Salles. A coitada estava atravessando a rua e a sandália arrebentou. Eu não me aguentava de tanto rir....hauahua...Mas enfim, a Kamilla, sentou na calçada da Auto Escola Catedral e teve que esperar minha outra irmã buscá-la. Ela ganhou uma sandália nova. E eu fiquei sem a minha rasteirinha. E para fechar a história na Revista Metropole, publicada no jornal Correio Popular do domingo passado, a coluna da Sheila Roseli continha a mesma história. A jornalista teve sua sandália quebrada no meio da rua. Qual será o problema dessas sandálias modernas? Será que a cola usada não cola tão bem quanto a cola de antigamente? Será que os fabricantes de sandálias estão fazendo um complô para que quebremos nossas sandálias periodicamente, para que compremos as novas sandálias da Ivete Sangalo?Será que eles não sabem que a grande maioria das mulheres adoram ter diversos pares de sapatos diferentes e, por isso, não deixarão de comprar os lançamentos? Meu deus, onde estão os fabricantes daquelas sandálias Ortopé, de couro marron, que usavamos quando eramos pequenos? Alguem se recorda de alguma criança as tiras das suas sandálias horrendas quebradas no meio da rua? Eu não me lembro. E confesso, ando com receio de arrastar minhas sandálias por aí... Imagens: http://www.transoxiana.org/0104/Images/sandalias1.jpg http://www.beautyfashion.hpg.ig.com.br/chinelo.gif

3 comments:

yara b . said...

as ilustres sandálias franciscanas que eu usava quando criança nunca arrebentaram.

mas minha rasteirinha azul quebrou outro dia... em frente a uma loja de sapatos!

ê lerê.

Claudia Lis said...

Eis o texto sobre seus chinelinhos de verão, ou famosas sandálias rasteirinhas e mais as suas observações cotidianas.

Obrigada pelo comentário. Adorei!
Espero que o verde-esperança lhe atinja também.
E é claro que um vermelho escuro, mais fechado, serve para aquecer o coração no inverno.
Que as cores sejam bem vindas em nossas vidas.

Vou adicionar o seu Blog nos meus Blogs Queridos.

Beijos

Anonymous said...

la calle es mía (manuel fraga iribarne, 1 de mayo de 1976)